Mes: abril 2015

Etapa Virtual

É o mês de abril de 2015. Eu me sinto muito feliz de iniciar minha etapa virtual, compartilhando informações com meus novos clientes e iniciando um lugar oficial de comunicação com meus alunos. Este trabalho é a culminação de muitos esforços por anos e eu desejo que tenha o impacto esperado e gere os frutos necessários para tirar proveito tanto corporativamente, chegando a beneficiar muitas empresas e seus profissionais em seu crescimento; como no ensino, onde eu possa levar o meu idioma, a 5ª língua mais falada no mundo, a 3ª  em importância no mercado laboral da Costa Rica e uma das culturas mais ricas e conhecidas do mundo com seus elementos chaves: MPB (música popular brasileira) dentre elas a Bossa Nova, o Carnaval, o Futebol, a Comida, a amizade e alegria que todo brasileiro sabe brindar, cativando o estrangeiro e, muitas vezes, querer ser um pouco brasileiro também. Isso é algo que o PELPHi pode dar – um pouco dessa terra e língua miscigenada a você. Bem vindo (angel)!

Por favor, lembre-se que aqui você pode fazer comentários ou dar sugestões de preferências, mudanças ou inclusões de novos serviços que façam você pensar que está no Brasil.

Bisteca com mandioquinha

bisteca-com-mandioquinha

Ingredientes

1 kg de bisteca de porco
6 colheres (sopa) de suco de limão
4 cubinhos de caldo de carne
4 colheres (sopa) de óleo
1 cebola (média) picadinha
3 tomates (sem pele ou sementes) picados
500 g de mandioquinha em rodelas
2 colheres (sopa) de salsa picadinha

Modo de preparo

Tempere as bistecas com o suco de limão e o caldo de carne, dissolvido em 2 colheres (sopa) de água fervente. Deixe tomar gosto por 1 hora. Frite as bistecas no óleo, dourando dos dois lados. Junte a cebola, os tomates, 1 xícara (chá) de água fervente e a mandioquinha. Tampe a panela e cozinhe em fogo baixo, até a mandioquinha ficar macia (cerca de 10 minutos). Polvilhe com a salsa. Sirva quente.

Deus à frente

Neemias 2.1-20 | 349CC | 42HCC

“Também lhes contei como Deus tinha sido bondoso comigo e o que o rei me tinha dito. Eles responderam: ‘Sim, vamos começar a construção’. E se encheram de coragem” (v. 18).

Há neste texto uma grande história: a tristeza de Neemias é vista pelo rei com diagnóstico preciso – “tristeza do coração”; Neemias empreende a viagem liderando o povo; chega a Jerusalém; conhece os sinais da oposição; volteia a cidade e faz seu diagnóstico sobre os muros; fala ao povo e obtém apoio para o início da obra dos 52 dias. Há, todavia, um “segredo”: “E lhes declarei como a boa mão do meu Deus estivera comigo…”. Não pense que as coisas foram fáceis. Creio que encontrou, pelo menos, três níveis de obstáculos: muito entulho; não muito entusiasmo dos seus irmãos e oposição por parte dos vizinhos pagãos. Mas ele tinha um ingrediente determinante em seu coração, tinha consciência de que a boa mão do Senhor era sua companhia constante e quando se tem essa convicção arraigada no coração, os obstáculos vão sendo tombados. Levante-se outra verdade: esses empecilhos foram encarados e vencidos mediante o enfrentamento e não com um recuo.

Nalguns momentos os trabalhadores tiveram que construir o muro e se prevenir para o iminente ataque adversário. Foi necessário trabalhar próximos uns dos outros, certamente para que o ânimo fosse fortalecido e irradiado de uns para com os outros. Aqui temos uma história quando Deus esteve à frente e quando isso acontece o inimigo é derrotado.

Para as crianças: Diz a Bíblia que Neemias tinha uma grande e difícil tarefa: reconstruir os muros do seu país. Ele foi para o seu país e conseguiu fazer os muros porque sabia que Deus estava com ele. Você tem alguma tarefa difícil para fazer? Faça como Neemias, acredite que Deus ajudará você.

Fonte:

http://www.batistas.com/index.php?option=com_content&view=article&id=131&Itemid=9